Para o técnico Pep Guardiola, a saída do atacante Brahim Díaz para o Real Madrid é um sinal do bom trabalho realizado pela base do Manchester City, apesar da perda de mais um jovem com grande futuro.

O City tentou renovar o contrato do atacante de 19 anos, mas admitiu derrota e o vendeu para o Real Madrid em transação que pode alcançar 22 milhões de libras. Brahim foi apresentado oficialmente no Santiago Bernabéu na segunda-feira.

Questionado se estaria decepcionado por perder o atleta, Guardiola afirmou nesta terça-feira “fizemos com Brahim o mesmo que fizemos com Phil (Foden) e Jadon (Sancho). Fizemos absolutamente tudo, mas no final o único que decide é o jogador”.

Sancho, 18 anos, impressionou desde que chegou ao Borussia Dortmund em 2017, defendendo três vezes a Inglaterra. Já Foden tem a mesma idade, mas assinou renovação de contrato de seis anos no mês passado.

“Desejamos tudo de melhor. Claro que assinar pelo Real Madrid não é um passo ruim, e esperamos que possa ter os minutos que não teve no último período por muitas razões. É um bom rapaz”, acrescentou Guardiola.

“Por outro lado, parabéns para nossa academia. Estão trabalhando muito bem e no final é o que acontece, importantes times da Europa querem contratar nossos jogadores porque está funcionando bem”, concluiu o treinador espanhol.